Com o apoio de uma ONG de proteção animal, a tutora garantiu o direito a cuidar de seu cachorro em casa por dois dias


Uma mulher conseguiu autorização para faltar ao trabalho e se dedicar aos cuidados com seu cachorro, que havia adoecido. O caso aconteceu na Itália.

Reprodução/Portal Bem Mais Mulher

Anna não poderia deixar o animal sozinho em casa e, por isso, pediu ao seu chefe que a liberasse por dois dias, mas recebeu uma resposta negativa.

Diante da situação, Anna pediu ajuda a uma ONG de proteção animal. Segundo informações do portal da Fundação LAV, graças ao apoio técnico e jurídico que recebeu, a tutora conseguiu ter o direito às folgas remuneradas.

Faltar ao trabalho para levar familiares, como filhos pequenos, ao médico é uma prática comum e que faz parte dos direitos do trabalhador. Esses direitos, no entanto, não costumam se estender aos animais. Por essa razão, o caso registrado na Itália é inovador.

Por outro lado, segundo as legislações do país, não oferecer os cuidados necessários a um animal configura crime de abuso.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/11/tutora-consegue-permissao-para-faltar-ao-trabalho-e-cuidar-de-cao-doente/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.