As golden retrievers Darcy, de 10 anos, e Emilie, de oito, não comem carnes ou derivados de animais e quem decidiu isso foi Lea McBride, 48, de Adelaide , na Austrália, a tutora vegana das cadelas.

Apaixonadas por cães, ela disse que achava estranho ‘amar um animal e machucar outro’.

Ela queria que seus animais apreciassem suas refeições, que consistem em alimentos secos à base de vegetais misturados com alimentos “molhados”, como lentilhas, vegetais e flocos de levedura.

“Embora os alimentos veganos secos possam ser caros – nós compramos online a granel para ajudar a economizar”, disse McBride.

“Nós alternamos o menu semanalmente, mas uma refeição básica seria com proteína vegetal texturizada – que se parece com carne moída, lentilhas, uma grande variedade de vegetais nutritivos, flocos de levedura nutricional para B12, vinagre de maçã e legumes.

“Elas adoram comer cenouras, enlouquecem e é muito fofo”.

Lea foi vegetariana por 20 anos antes de descobrir o veganismo há 20 anos.

“Sou vegana há cerca de sete anos e teria que dizer que foi a educação em torno da crueldade comovente na indústria de laticínios e indústrias de ovos que finalmente me fez adotar um estilo de vida vegano”.

Seu filho Mackenzie, 13 anos, foi criado como vegetariano e escolheu se tornar vegano há alguns anos.

“Mac é um guerreiro ativo dos direitos dos animais e demonstra incrível força e determinação para tornar seu mundo um lugar mais amável. Estou muito admirada com a crença dele de que um mundo vegano é possível”, contou ela.

Sobre as cadelas, Lea contou que procurou conselhos para fazer a transição para uma dieta vegana.

“Eu estava determinada a fazer isso com Darcy e Emilie e comecei a pesquisar antes de termos Darcy em nossa família”

Darcy se tornou vegana aos seis meses e Emilie aos quatro. As duas são consideradas saudáveis para a idade e desfrutam de um estilo de vida ativo completo com natação na praia. As informações são do Daily Mail.

“Elas ainda brincam como filhotes juntos,  lutam uma contra a outra e com brinquedos”, disse Lea.

“Com passeios diários na praia, elas ainda são cães bastante ativos, embora sentar no sofá e assistir TV seja o passatempo favorito de ambos.”

Apesar de muita atenção, Lea diz que muitas vezes as pessoas a atacam quando descobrem que suas cadelas são veganas, e que pessoas de todo o mundo a enviaram para criticar sua decisão.

“De repente, eles são especialistas em teclado em nutrição e ética de cães, que decidem compartilhar seus pontos de vista em mensagens online ou por meio de mensagens privadas”, disse ela.

“Eu entendo que o tópico de criar cachorros como veganos é controverso, mas eu não esperava o enorme ódio e as ameaças que são direcionadas a mim”.

“É melhor não responder a nenhum comentário, sei que meus cães são incrivelmente saudáveis, felizes e tão amados”.

Leia mais em: https://clubedosanimais.com.br/wp-content/uploads/2019/03/tutora-decide-que-suas-cadelas-serao-veganas-como-ela-anda.br/2019/03/tutora-decide-que-suas-cadelas-serao-veganas-como-ela/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.