O urso de Sailugem, espécie considerada extinta há cerca de 60 anos, foi acidentalmente encontrado e fotografado por turistas que faziam um passeio pelas montanhas Altai, na região da Sibéria, na Rússia.

Reprodução

Eles foram levados até o local pela empresa Kaichi Travel, e estavam a procura de aves raras de rapina e por ovelhas argali. “De repente Erkin e Alexander acenaram para nós, mostrando que deveríamos ficar quietos e segui-los. Esperávamos encontrar ovelhas, mas Alexander sussurrou que era um mamífero maior e, quando vimos, ele estava a 60 metros de nós”, um dos visitantes do parque relatou.

Foi quando se depararam com um urso de grande porte e pelos amarelados. Ao perceberem que se tratava do inusitado urso de Sailugem, tanto os turistas quanto o próprio guia turístico ficaram em choque e gravaram imagens para comprovar o flagrante.

De acordo com o portal Siberian Times, até então o zoólogo Genrikh Sobamsky era o único ser humano conhecido que já tinha visto o urso com os próprios olhos. Por essa razão, muitas pessoas acreditavam, inclusive, que a espécie era uma criatura mítica. Inclusive os turistas que o avistaram que, por algum tempo, chegaram a imaginar que observavam uma espécie “fantasma”.

“Quando chegamos a um platô, notamos as pernas de um animal peludo a uns 60, 70 metros abaixo de nós. Logo ele se mostrou por completo e, para a nossa surpresa, era um verdadeiro urso de Sailugem, amarelo e muito bonito”, disse um representante da agência de turismo. “Ele caminhou um pouco e ficamos felizes de poder tirar fotos, como prova de que realmente o urso de Sailugem existe”.

Mesmo com as provas, a agência afirmou que “agora é trabalho dos pesquisadores descobrir se ele é uma subespécie ou uma espécie própria”. Alguns cientistas acreditam que o urso de Sailugem sequer existiu – ele seria na verdade o urso de Tien Shan, originário do Cazaquistão, ou uma subespécie do urso pardo.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/06/urso-considerado-extinto-60-anos-avistado-turistas-na-russia/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.