Em meio a diversas imagens dos cachorros de Narjane Moura, moradora de Dourados (MS), uma se destacou e virou até mesmo notícia em sites estrangeiros. Com uma filhotinha de golden retriever em suas mãos, bem próxima a seu rosto, a professora de 26 anos o incentiva a uivar, enquanto ela própria imita o grito agudo. O jornal britânico “Daily Mail” publicou uma matéria nesta quarta-feira sobre a cena, dizendo que foi dessa forma que a pequenina “aprendeu” a emitir o som.

Narjane contou que o momento da “aula” foi gravado no último 28 de maio, quando Pandora (a filhotinha do vídeo) tinha apenas 19 dias.

Segundo a jovem, a mãe dos filhotinhos, Capitu, de 2 anos, precisou fazer cesária depois que a bolsa estourou.

— Ela não teve contração e os filhotes começaram a passar por sofrimento fetal — explicou.

O pai dos pequeninos, Bento, de 4 anos, também mora com Narjane, que vive “somente” com a companhia de seus animais. Além do casal de golden retriever, ela também ficou com alguns dos 11 filhotes que nasceram em 9 de maio, sendo seis fêmeas e cinco machos.

— Alguns foram adotados e outros foram vendidos, para ajudar a pagar a conta, que foi alta — frisou.

Bento e Capitu tiveram 11 filhotinhos em maio de 2019

Narjane postou o vídeo em seu perfil do Instagram no dia 2 de junho, mas ele já vinha sendo compartilhado em outras redes sociais. Num grupo de assuntos diversos no Facebook, uma publicação do dia 29 de maio alcançou 10 mil curtidas, enquanto um tuíte da última quinta-feira já ultrapassou 4 milhões de visualizações.

— Postaram em tantas páginas que eu não consigo acompanhar — disse ela, em meio a risadas.

As outras imagens dos animais, porém, também fazem sucesso nas redes. Narjane tem o hábito de compartilhar a fofura dos bichinhos com seus seguidores no Twitter e no Instagram. Na legenda de uma das fotos, Narjane resumiu o sentimento que tem por eles: “Amor maior do mundo”. Confira alguns cliques:

Fonte: Extra.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.